A PRIMEIRA DÉCADA DO ESPIRITISMO CEARENSE NO SÉCULO XX


                      CRONOLOGIA ILUSTRADA DO GEAP                                 
SÉCULO 20
1901 - 1910
1901
Emília Freitas Vieira funda o Grupo Espírita Verdade e Luz na cidade de Maranguape e em novembro publica o primeiro periódico espírita do Ceará intitulado “Luz e Fé”.
1902
Na cidade de Maranguape, no mês de agosto é fundado o Grupo Espírita Caridade e Luz que chegou a publicar um jornal denominado “Doutrina de Luz” e manteve uma instituição de ensino a “Escola Cristã”.

1904
Este ano marcou o centenário de nascimento de Allan Kardec. Ocorre então, um conclave durante a gestão de Leopoldo Cirne, então Presidente da Federação Espírita Brasileira, no Rio de Janeiro, tendo como pauta o projeto “Bases de Organização Espírita” onde foram aprovadas as diretrizes pelas quais as sociedades espíritas dos estados deveriam se unir por ato federativo estadual ou de adesão diretamente a FEB. Em face do movimento insipiente no Ceará não houve nenhuma repercussão.
NOTA:
Leopoldo Cirne afirmava que o primeiro centro espírita fundado no Brasil, verificou-se no Ceará. Ignoramos os detalhes como a data de fundação, denominação da casa espírita, etc. Daí não ter valor histórico, apenas como uma curiosidade a ser comprovado algum dia.

1906
Nasce Antônio Izaías de Jesus no dia 23 de junho na cidade de Barbalha, no Ceará.

1907
Nasce Maurício de Góes Holanda em Quixadá, Ceará.
1910
Viana de Carvalho juntamente com Theodorico Barroso e outros idealistas fundam o Centro Espírita Cearense no dia 19 de junho cuja sessão solene ocorreu no palacete da Fênix Caixeral.
O prédio luxuoso Fênix Caixeiral fundada em 24 de maio de 1891, com escadaria de madeira, grandes salões nobres e sociais na Fortaleza da Belle Époque¹.

Neste mesmo ano, se inicia através dos jornais "O Unitário", "A República" e "Jornal do Ceará", vivas polêmicas, refutado por Viana de Carvalho de todos os argumentos infundados sobre o Espiritismo.
NOTA 1:
Belle Époque - Nome dado pelos historiadores que assim denominaram o processo de expansão e remodelação de Fortaleza no período de 1860 a 1930, destacando como o antigo e o moderno começavam a conviver na paisagem urbana da cidade. Refere-se ainda ao processo de embelezamento com base em modelos europeus vigentes - sobretudo parisienses - pelo qual Fortaleza passou nesse período.


Pesquisa elaborada por: André Luiz Bezerra Borges dos Santos

Créditos das imagens:
Arquivo Pessoal
Arquivo GEAP
Memórias do Espiritismo, Luciano Klein Filho
Web: Google

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DR. EDSON QUEIROZ E AS CIRURGIAS ESPIRITUAIS EM FORTALEZA

ESPIRITISMO E O ISLAMISMO - PARTE 1

NOTÁVEIS ROMANCES ESPÍRITAS - JORMESP 2016