NASCE O GEAP, OS PRIMEIROS ANOS DE FUNDAÇÃO


  
CRONOLOGIA ILUSTRADA DO GEAP

1928 - 1929

1928
No dia 7 de janeiro de 1928 é fundado o Jornal OPovo pelo jornalista Demócrito Rocha.

  
Jornalista Demócrito Rocha, fachada da sede própria do Jornal O POVO na Rua Senador Pompeu, 1082 e primeiro exemplar.

A Grande Loja Maçônica do Estado do Ceará foi fundada em 19 de março de 1928 por iniciativa das Lojas Deus e Camocim n° 1, Porongaba n° 2 e Fortaleza n° 3 na qual inúmeros dirigentes do GEAP fizeram parte, dentre eles José Borges dos Santos.



GRANDE LOJA MAÇÔNICA DO ESTADO DO CEARÁ


Em 12 de junho, Álvaro Weyne (um dos fundadores do Centro Espírita Cearense) assume a prefeitura de Fortaleza.
ÁLVARO WEYNE

Fundação do Grupo Espírita Auxiliadores dos Pobres - GEAP no dia 26 de julho na residência de Antônio Alves de Linhares no bairro Joaquim Távora na Praça da Escola Normal, em local situado nos fundos de uma residência.
ANTÔNIO ALVES DE LINHARES

Praça da Escola Normal em 1928

Manuel Félix de Moura Amazonas foi o primeiro presidente do GEAP para o mandato de 1928 a 1929.
MANUEL FÉLIX DE MOURA AMAZONAS

No dia 14 de outubro a Assembléia Geral do GEAP aprovou o seu 10 Estatuto elaborado por uma comissão organizadora constituída por: Paulino Moraes, Antônio Alves de Linhares e Manuel Coelho da Silva.
 
Click para ampliar

No mesmo mês de outubro O GEAP é filiado a Federação Espírita Brasileira.

1929
Atas de fevereiro provam que as sessões ordinárias de diretoria ocorriam duas vezes por mês as segundas – feiras às 14 horas, conforme a alíneas “a” do artigo 11 do estatuto. Ignora-se os assuntos tratados em diretoria, mas sabe-se que contava com a participação de diretores e assistência, que em média acusava a presença de 20 pessoas.

Atas de 17 e 24 de fevereiro de 1929
Click na imagem para ampliar
Estas atas provam o equívoco do jornal “O Povo”, que em sua edição de 5 de setembro de 1928, registra o nome de José Braga Mendes como bibliotecário  o nome correto seria o de José Borges dos Santos, conforme prova esta ata de 17 fevereiro de 1929. Em nenhuma ata do GEAP consta o nome de José Braga Mendes.
José Borges dos Santos 
As sessões mediúnicas ou práticas (como eram denominadas na época) ocorriam as segundas, quartas e sextas-feiras no horário das 19 às 20 horas. Neste ano, mais de 190 pessoas compareceram as sessões, numa média de 40 pessoas por sessão.
Esq.: As irmãs Francisca Maciel Borges e Maria Maciel de Carvalho, Esmerinda Maciel (Mãe) e a filha Laura Maciel. As três primeiras foram fundadoras do GEAP. Ver assinaturas destas pioneiras na ata de 24 de fevereiro.


Antônio Alves de Linhares dirige pela última vez as sessões doutrinárias no dia 10 de março, embora seu filho Josué Linhares, citado na Voz do Alto, como médium de cura, comparece a algumas sessões com outros parentes sem a presença do pai.

A partir do dia 24 de março as sessões práticas passaram a ocorrer das 18 às 19 horas.

O “Grupo” permanece em atividade na residência de Antônio Alves de Linhares até a data de 2 de abril.

Antônio Isaías de Jesus na primeira edição do jornal A VOZ DO ALTO de 1948 cita a residência da Sra. Laura Salgado onde o “Grupo” passou a funcionar até a transferência para a residência de Manduca Coelho.
 ANTÔNIO ISAÍAS DE JESUS
Manuel Félix de Moura Amazonas é reeleito no dia 26 de julho para o seu 20 mandato de 1929/30.

No dia 26 de outubro o “Auxiliadores dos Pobres” como carinhosamente era denominado, passou a funcionar na residência de MANOEL COELHO DA SILVA (também conhecido como Manduca Coelho) numa casa situada na praça Pelotas, Villa Amazonas, nome alterado posteriormente para praça da Bandeira e atualmente praça Clóvis Beviláqua.
Praça de Pelotas, depois praça da Bandeira, atual praça Clovis Bevilacqua, 1935
Residência de Manduca Coelho na rua Antônio Pompeu com Av. da Universidade onde funcionou o GEAP de 1929 a 1935. Na mesma foto, vê-se a direita a Loja Maçônica Fortaleza nº 3, fundadora da Grande Loja Maçônica do Estado do Ceará em 19 de março de 1928 juntamente com a iniciativa das Lojas Deus e Camocim n° 1 e Porongaba n° 2.

O 10 Estatuto do GEAP é registrado no dia 10 de Outubro de 1929 no Cartório Pergentino Maia.


Pesquisa elaborada por: André Luiz Bezerra Borges dos Santos

Créditos das imagens:
Arquivo Pessoal
Arquivo GEAP
Web: Google

Comentários

  1. Parabéns pela iniciativa, e o carinho com que elaborou a postagem dos relatos e fotos.Adorei a Praça da Bandeira, a qual deveria voltar a ser o que era; pois é bem mais bonita que a atual.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

DR. EDSON QUEIROZ E AS CIRURGIAS ESPIRITUAIS EM FORTALEZA

ESPIRITISMO E O ISLAMISMO - PARTE 1

NOTÁVEIS ROMANCES ESPÍRITAS - JORMESP 2016